GOOD SERVICE Consultoria de Negócios BADAJOZ Badajoz

Há mais uma razão para evitar a toma de antibióticos sem prescrição

22/05/2018

Alguns antibióticos, quando tomados por via oral e sem prescrição, podem ter um efeito secundário negativo no organismo.

Quem o diz é uma nova investigação publicada no Journal of the American Society of Nepdhorology. Os resultados? Tomar qualquer um dos cinco tipos de antibióticos orais está associado a um maior risco de desenvolver pedras nos rins (depósitos minerais e salinos que se formam nos rins e precisam passar pelo trato urinário).

O grupo de pesquisa analisou os dados médicos de mais de 13 milhões de pessoas que procuraram cuidados de saúde no Reino Unido, entre 1994 e 2015. Destes, 26 mil pacientes haviam sido diagnosticados com pedras nos rins – este grupo foi comparado com um outro, da mesma dimensão, formado por indivíduos que não sofrem da condição.

 Os antibióticos e o organismo

Os resultados revelam que cefalosporinas, fluoroquinolonas, nitrofurantoína/metenamina e penicilina estão todos associados a um maior risco de desenvolver pedras nos rins, quando tomados três a 12 meses depois do diagnóstico.

Este risco tem tendência a diminuir com o passar do tempo mas mantém-se elevado até cinco anos após a toma de antibióticos. Adicionalmente, os jovens parecem ser mais suscetíveis a desenvolver este problema de saúde quando expostos aos antibióticos mencionados.

Este argumento junta-se a outros que indicam que a toma excessiva de antibióticos tem efeitos nefastos para o organismo. Vale sempre a pena consultar o seu médico antes de se automedicar.